Juliana Borges

Juliana Borges
por Juliana Borges

Quem sou eu

Minha foto
A mulher que está disposta a aprender com a vida, com as pessoas. Quem procura mais do que nunca, sonhar, Ser feliz. Criei este canal para quem assim como eu, está em busca de conhecimento. Não são bem-vindas pessoas que buscam "manchar" a imagem do outro, seja lá quem for. Este canal não nasceu para maledicências.

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Ritmos Parte II - Macksoum ou Baladi 1 DUM

Olá meninas!

Continuando com o assunto de ritmos árabes, hoje vamos falar sobre o Macksoum. Gostaria de deixar mais uma vez muito claro que o post a seguir carrega parte de meus estudos em dança, porém arrisco dizer sem absolutamente um pingo de medo que sou ávida estudante de nossa dança, e que se houver alguma divergencia com outro ponto de vista de outra bailarina, estudante de dança ou músico que possa visitar essa postagem, que ela seja manifestada. Fico grata em ser corrigida por quaisquer pessoa que venha neste blog com a intenção de agregar conhecimento... Portanto, espero os comentários de vocês, e que se houver alguma informação relevante sobre o assunto aqui tratado peço a colaboração e manifestação por parte de vocês em forma de comentário.

Sem mais conversa, vamos aos estudos!

O Ritmo Macksoum

Segundo Hossam Ramzy, o Maksoum é o pai de todos os ritmos egípcios. O comentário pode até ser polêmico, visto não termos registros exatos de onde possa ter surgido esse ritmo de forma exata, porém podemos considerá-la verdadeira. Do ponto de vista musical, é a partir do Maksoum, com diferenças mínimas de preenchimento, cadência e acentuação, muitos outros ritmos se formam.

O Macksoum é um dos ritmos básicos na música árabe. A palavra "Macksoum" significa: cortado, partido ao meio - (Esse nome foi dado principalmente por causa de seu acento forte no contratempo entre o tempo um e dois). Em compasso 4/4 é um ritmo muito forte, no que se refere ao sentimento de animação. Como já vimos no post "Ritmos Parte I - Baladi", onde falávamos este ritmo, devemos lembrar que a estrutura do ritmo Macksoum é muito próxima a estrutura do ritmo Baladi. Porém, o que podemos fazer para identificar a diferença é identificar o primeiro toque: o "DUM". O Macksoum não possui dois DUM's em seu início como o Baladi, ele possui apenas um DUM e conta ainda com uma pequena pausa no meio do ritmo. Por esse motivo e essa proximidade com o ritmo Baladi, ele também é chamado por outras escolas de dança de "Baladi 1 DUM".


Representação Gráfica do Ritmo:

DUM TAK (pequena pausa) TAK DUM TAK


Características do Ritmo

É um ritmo dotado de quatro tempos e existem variações rápidas e lentas. É amplamente utilizado em músicas modernas, solos de derbake e baladis. A pausa do meio da frase musical gera um acento mais forte no contratempo.

Treinando o Ouvido
Treine o ritmo puro, com a ajuda de um CD  e depois tente encontrá-lo nas músicas. Faça sempre desta forma para que se acostume com o ritmo, sem que o confunda com outros. Repare que nem sempre ele aparecerá da forma simples e acostume-se com isso, pois  os ritmos em geral tendem a receber variações e ficar "floreados".

Dançando com o Ritmo Macksoum:

Abaixo postei dois vídeos da bailarina Saida (Argentina), onde ela explica algumas técnicas corporais para trabalhar o ritmo. 

 

 

Espero que tenham gostado e desejo bons estudos a todas!

Muitos beijos a todas e até a próxima!!!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

CD Aziza Raks! para Download

Olá meninas!!!


Hoje passei por aqui apenas para deixar mais um link, é do CD "Aziza Raks!", que é um bom CD que possui músicas bem populares como Luxor Baladna...

Como disse passei rapindinho para não fica com saudades!


Tchau habibas!

Muitos beijos!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Samba Enredo Gaviões da Fiel 2011 - Créditos à Dança do Ventre

Olá jalilahs!
Hoje gostaria de contar para quem ainda não sabe, sobre o Samba Enredo da Escola de Samba "Gaviões da Fiel" neste ano de 2011: "Do Mar das Pérolas e Das Areias do Deserto à Cidade do Futuro: DUBAI, O SONHO DO REI MAKTOUM".

A escola Gaviões contará esse ano com a participação de BAILARINAS PROFISSIONAIS de nossa área... ou seja baby... um desfile maravilhoso para as nossas bellydancers de plantão assistirem!

Mais coisas não posso contar né?

... Meninas, estamos ficando poderosas este ano hein???
teremos nada menos que um Desfile de Carnaval para nossa categoria, homenageando a cultura que tanto amamos!

Abaixo segue um vídeo que contém o samba enredo da escola:



Vamos lá, esperar pra ver...

Muitos beijos, e obrigada pelo carinho e pelas visitas!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Ritmos Parte I - Baladi

Olá ayunis!

Como esse assunto é de suma importância na vida de uma bailarina, resolvi postar minhas considerações sobre ele, e trazer para todas nós um dos ritmos muitíssimo utilizados por aí que faz parte da nossa dança do ventre... o Baladi.

Quero lembrar que o que está postado aqui faz parte de meus estudos, em várias fontes e se alguém tiver alguma divergência, deixo toda a liberdade em manifestar-se através de comentários. Afinal, isso pra mim é que é aprendizado.

Aí começamos:

Baladi

"Baladi é a terra, o lugar onde nascemos. É a lembrança saudosa e o orgulho que temos por nossa terra natal".

Em árabe baladi significa meu povo, minha terra, terra natal, meu país, urbano, minha cidade, ou tudo que tenha esse sentido de "raiz"... é um dos ritmos mais executados no Egito e no Líbano, assim como o Said. Sua grande característica são as marcações fortes , e a maior característica desse estilo quando pensamos na forma de dançá-lo é a retomada a cultura popular, as origens familiares e o significado da terra natal. É conhecido também como "Beledi" ou até mesmo "El Balad".


Temos que observar que a expressão Baladi está bastante relacionada com o que é simples, básico, comum.

Ritmo (composição musical)
O ritmo baladi possui compasso 4/4. Podemos até mesmo afirmar que ele é derivado originalmente do ritmo Maksoum (e isso causa certa confusão na cabeça da estudante no princípio), que tem um DUM a menos na chamada forma anotada.
Assim, apresentamos a frase desta forma: (forma anotada - ou podemos chamar de forma cifrada)

DUM - DUM - TA-KA-TA - DUM - TA-KA-TA


Treinando com snujs:

Inicie tocando os snujs pela frase simples (como apresentado acima):

DUM DUM TAKATA DUM TAKATA.

Conseguindo a agilidade desejada, coloque um TAKA no final, para fazer a emenda com o início do ritmo novamente:
DUM DUM TAKATA DUM TAKATA TAKA
DUM DUM TAKATA DUM TAKATA.

Treine somente este ritmo, com a ajuda de um CD e depois tente encontrá-lo nas músicas. No início não será tarefa fácil, pois você poderá se confundir com os ritmos, mas a prática e persistencia levará à perfeição. Nem sempre o ritmo aparecerá da forma simples (e isso se aplica a todos os outros ritmos) , pois receberá, com frequência variações e floreados.

Opções de Toque com Snujs:
Você poderá tocar os DUMs, TAKs e TAs com a sua mão principal (sua mão direita se você for destra e  sua mão esquerda se você for canhota) e os e KAs com a outra mão, a menos habilidosa. Ou então marcar os DUMs com as duas mãos, enfatizando que são mais fortes.
Um adendo importante para identificar o ritmo com competência: 
Na minha opinião, esse critério se aplica a quaisquer ritmos.
O que chamamos de "DUM" é a nota que nos parece a mais grave do ritmo e também a que se apresenta de forma mais vibrante. É uma nota que precisa obrigatoriamente estar bem perceptível (para não ser confundida com as outras notas) e clara na música, (não sofrendo outros efeitos e/ou ruídos).

Vídeo - Dançando o Baladi
 
Bom é isso... abaixo, vou postar duas vídeo aulas da SAIDA, ensinando o ritmo Baladi, está em espanhol meninas, mas o corpo de Saída fala por si só, e mesmo quem não fale o idioma não sentirá dificuldades em seguir e aprender um pouquinho mais com o vídeo:

video


video

Bom queridas, espero que tenha ajudado nos estudos de vocês!

Muitos beijos!

domingo, 16 de janeiro de 2011

Rádio - Bellydance Superstars

Olá queridas!

Vocês conhecem a rádio on-line do BDSS?



Se não conhecem, estou disponibilizando o link para que possam ouvir... é ótimo para quem deseja ouvir música árabe, e o melhor ainda é que a rádio disponibiliza nome da música e nome do cantor, para quem deseja baixar as músicas.

Muitos beijos e bom proveito!

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Isadora Duncan - A BAILARINA

Olá meninas... desculpem o sumiço...

Aqui abaixo segue, uma bailarina (do ballet clássico) que devemos conhecer e estudar:

Isadora Duncan

Considerada pioneira da dança moderna ao quebrar as regras do balé clássico, o que causou muita polêmica em sua época. Isadora dançava com roupas leves e descalça, diferente do que esperamos do ballet clássico, o figurinho foi totalmente inovador: com panos que se movimentavam junto a movimentação de seu corpo, muitas vezes inspirando-se em elementos da natureza.

Vale a pena estudá-la, procurar referências sobre ela... abaixo, segue um trecho do livro:

"Minha Vida" sobre o trabalho de Isadora Duncan.

Na música há 3 tipos de compositores: primeiro aqueles que na música erudita fazem arranjos e buscam, através de seus cérebros, partituras refinadas e habilidosas que encantam os sentidos através da mente. Em segundo, aqueles que sabem como traduzir suas próprias emoções, tendo a música como meio, em alegrias e tristezas de seus próprios corações, criando uma música que desperta diretamente o coração do ouvinte, trazendo-lhe lágrimas pelas memórias evocadas, pelas lembranças vividas. Em terceiro há aqueles que subconscientemente escutam com suas almas uma melodia de outro mundo e são capazes de expressá-la aos ouvidos humanos compreensivelmente e de uma forma agradável.

Existem igualmente 3 tipos de dançarinos: primeiros aqueles que consideram dançar uma espécie de treinamento físico feito de arabesques impessoais e graciosos, segundo aqueles que, ao concentrar suas mentes, guiam o corpo na direção do ritmo de uma emoção desejada, expressando sentimentos relembrados. E finalmente, há aqueles que convertem o corpo numa fluidez luminosa, rendendo-a a inspiração da alma. Este terceiro tipo de dançarino entende que o corpo, dada sua alma, pode de fato ser convertido num fluido luminoso. A carne torna-se iluminada e transparente assim como é mostrada no raio-x - mas com a diferença de que a alma humana é mais clara que esses raios. Quando a alma, em seu poder divino, possui o corpo, converte-o numa nuvem luminosa em movimento e assim manifesta-se na sua total divindade. Esta é a explicação para o milagre de São Francisco andando sobre o mar. Seu corpo não mais pesado como o nosso, tão leve se transformou através da luz.

Imagine um bailarino que depois de longo estudo, oração e inspiração, tenha alcançado tamanho grau de entendimento, que seu corpo seja simplesmente a luminosa manifestação de sua alma; cujo corpo dança em acordo com a música ouvida interiormente, na expressão de algo vindo de um outro e mais profundo mundo. Este é o verdadeiro bailarino criativo, natural mas não imitativo, falando através de movimentos a partir de si mesmo e a partir de algo maior que todos os seres.

Sinto me tão confiante de que a alma pode ser despertada, possuindo completamente o corpo, que quando trouxe crianças para minha escola almejei acima de tudo fazê-las trazer para si mesmas a consciência deste poder dentro delas, da relação que mantêm com o ritmo universal, evocando o êxtase, a beleza desta realização. O meio para este despertar será em parte a revelação da beleza da natureza e em parte daquele tipo de música que o terceiro grupo de compositores nos dá, que surge da alma e fala para a alma.

Há adultos que esqueceram a linguagem da alma, mas as crianças a entendem. É apenas necessário dizer-lhes: "ouçam a música com suas almas. Agora, enquanto ouvem, vocês sentem um profundo despertar interior, vindo de dentro de vocês? - Que é pela sua força que suas cabeças se erguem, seus braços se levantam e que vocês caminham lentamente na direção da luz?"

Este despertar é o primeiro passo na dança, como eu a entendo.

Quando eu comecei a dançar com os movimentos e gestos que minha alma arrebatada sabia como comunicar ao meu corpo, os outros começaram a me imitar, não entendendo que lhes era necessário voltar a um começo, para achar primeiro algo dentro deles mesmos.

Em muitos teatros e escolas via-se este tipo de dançarino, que compreendiam apenas com o cérebro, que sobrecarregavam de gestos suas danças; seus movimentos pareciam vazios, insípidos e destituídos de significado. O que eles traduziam através da mente parecia totalmente de inspiração e de vida. O mesmo acontece com os sistemas de dança que são apenas ginásticas combinadas, compreendidas apenas logicamente (Daltroze, etc). Parece-me um crime impingir as crianças, que não podem se defender, este treinamento prejudicial; pois é um crime ensinar a criança conduzindo seu corpo em desenvolvimento através do poder rígido do cérebro e ao mesmo tempo enfraquecendo seu impulso e inspiração.

A única força que pode satisfatoriamente conduzir o corpo é a inspiração da alma.

Bom meninas, quando falamos de Isadora, podemos pensar numa artista quase que "completa"... uma mulher que estava a frente do seu tempo... como eu disse, vale a pena conhecer e estudar sobre ela.

Beijos a todas!